domingo, 29 de novembro de 2015

O AMOR QUANDO É AMOR 

Um amor distante não é impossível, mas faz doer quando
uma das partes esquece que amar é demonstrar, afeto e troca. 
É uma dor profunda no peito, no mesmo peito que deseja os 
beijos e afagos de prazer eterno, prazer divino por ser amor, 
sentimento de ser dois em um só ser, partilhando os dias, as 
noites, a tensão da luta diária a calma do beijo e das palavras 
sussurradas, amo-te, nada nos afasta, o calor do nosso amor
acalma as incertezas e angústias da vida. O amor quando é 
amor materializa-se na troca das emoções, vibrações energizadas
na felicidade que brilha como uma estrela estampada na face, dos
enamorados abençoados pelos anjos do amor, a cada olhar em 
todos os instantes do dia. Não há troca de horários, de meias
palavras, a única troca quando se ama é de carinho, prazer, 
loucuras que só quem ama consegue realizar e sentir-se feliz,
por aventurar-se no mais lindo e venerado dos sentimentos, 
capaz de vencer distâncias, superar dogmas, dividir a vida e esperar
na eternidade. Amar não é só mostrar o que se sente, mas é pactuar 
a reciprocidade de duas vidas em uma, unidas em um desejo louco
de AMOR, sem medo da felicidade, do prazer e da alegria de 
caminhar de mãos dadas e suadas, com o coração sempre
enamorado até o fim.

Rosicler Fátima Tomaz Pereira Schäfer




Nenhum comentário:

Postar um comentário