quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Veneno, mentira.....

MORTE
 

Uma cobra, veneno,
mentira, solidão.

A vida envenenada,
sem ritmo, sem tesão.

A cobra venenosa é a
sua sombra que retorna

O tolo morto não
sente amor ou ódio,
é gélido e de um tom
tom pálido, sem vida.

Sorri feliz a cobra a sua
existência faz sentido:
morder, largar seu veneno.

O homem gelado se
Transforma em larva.
A cobra segue, fria e
sem cor e o homem,
ao pó infinito retorna.



Rosicler Fátima Tomaz Pereira Schäfer

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário