sexta-feira, 27 de julho de 2018




Circuitos e pulsações

Quando penso em vida, passo horas indagando a
outra que vive em devaneios, passeando pelos racionais
circuitos neurais, e com parada solitária, nas pulsações
emocionais do coração, ali buscando o sentido de aqui
estar e aqui permanecer, até sentir a calma infinita da
certeza, de que a missão é única, não importando as
dores, medos e os palpites aleatórios, amar, só amar.


Cada acordar, a realização e o viver do cotidiano.
Do nascer ao pôr do sol, racional e emocionalmente,
o sentido é amar, o tudo ou o nada que visualiza-se
no espelho, os afazeres com todas as vitórias ou as
derrotas, os medos e desilusões de saber que nem
tudo que passa pela vida, significa amor, mas que
faz parte da jornada no aqui e no agora.


Amar, é ser capaz de aceitar todas as imperfeições,
daqueles que nos cercam e igualmente ser respeitada,
o sentimento de AMAR envolve todos os circuitos
neurais e as pulsações cardíacas, que fazem o
domínio completo do corpo, cumprindo assim
a essência e o sentido de viver, nos caminhos
das divindades, amar e exalar a gratidão do AMOR.

Rosicler Fátima Tomaz Pereira Schäfer