quinta-feira, 9 de março de 2017

Reflexão


Cada ser humano possui talentos inerentes, entendidos amorosamente como dons capazes de iluminar a vida pessoal e com quem convive. Porém, tais talentos precisam ser despertados, na infância e adolescência a participação familiar e as ações do Estado Democrático de Direito são fundamentais.
Por isso, a Instituição família e Estado deve ser adequadamente evoluída aos novos contextos de transformações, garantindo direitos de expressão e amorosamente estabelecendo limites com exemplos de dignidade e talentos próprios de superação, inclusão e luta contra velhos estigmas que impedem a liberdade com responsabilidade e transparência.
No caso do Estado da República Federativa do Brasil é hora de ser modelo aos cidadãos, cumprindo as legislações de responsabilidade fiscal, de combate implacável e punição rigorosa aos crimes de corrupção, que sangram e matam talentos e sonhos de milhares de brasileiros.

Rosicler Fátima Tomaz Pereira Schäfer

            Desejamos a felicidade, sem dúvida muitos são os momentos da vida que sentimos com grande intensidade a tal felicidade, e algumas pessoas tem consciência de sua existência em momentos por muitos considerado fugazes e sem sentido.
Certo é que tal desejo é imaginado individualmente, e que a felicidade são momentos simbólicos de cada individuo, acordar e tomar um café, apreciando a sensação de gratidão por estar bem para enfrentar o cotidiano, para muitos é um instante precioso e feliz.
Outros, porém esse momento é maquinal, e a felicidade representa um pequeno ou um grande negócio realizado, o sonhar e desejar viagens, roupas e bens materiais. Assim a felicidade é um condicionante imposto aos padrões idealizados por cada pessoa.


 Rosicler Fátima Tomaz Pereira Schäfer

Nenhum comentário:

Postar um comentário