quinta-feira, 20 de agosto de 2015

NINGUÉM

Ninguém deveria sentir tristeza, vontade de chorar, dor por si mesmo,
Ninguém deveria sentir incertezas, ter medo de expor os seus
Sentimentos, desejos, sonhos e emoções.
Ninguém deveria ser exposto ao ridículo, simplesmente por amar demais.
Ninguém deveria ser humilhado por sentir vontade de beijar e ter alguém para amar só seu e não dividir com outra pessoa. Ninguém deveria sentir tanto medo de continuar vivendo e sentir que as pessoas iguais, em pânico, solitárias e vazias, 
Não querem ouvir sobre verdades e dores existenciais. Sim ninguém deveria desprezar, ignorar ou destruir os sonhos de outra pessoa, mas no dinamismo frenético e individualista da contemporaneidade todos
São ninguém, e como tal a vida em si é apenas um consumir coisas, pessoas, modelos de vida vazia, planejamentos de insatisfação e arrogância de dominar maneiras de pensar, ser e agir. É um tempo de treinamento, para determinar a resistência de todos os “ninguéns” frente à indiferença e agonia do amor.

Rosicler Fátima Tomaz Pereira Schäfer.




Nenhum comentário:

Postar um comentário