sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Poesia: AMAR É

AMAR É

Amar é renunciar à divisão. O possuir, o sentir
é a sua essência, quem ama não tem visão de
um mundo sem aquele que ama, e o sentir com
loucura e posse é a mais pura doação do estar
amando, o dividir o outro não é amor, mas negação
da cumplicidade e do desejo genuíno de querer.
Amar é ser capaz de fazer de todos os dias
momentos de ternura, carinho e desejo sem
fim, querer com paixão o ser amado, com
todas as suas revelações psicológicas e
físicas que o tempo transforma e envelhece.
Amar é saber que o tempo é implacável,
que pode chegar os excessos de dor, de
momentos de tristezas, de partidas que
a morte leva para outro lugar, mas que
o amor pelo outro ainda é límpido e
eterno, que as lágrimas manifestam a
saudade naquele que fica, mas não
apaga a chama do amor que foi.
Amar é nunca fugir, quando a lei da
vida aplica uma peça e o ser amado,
perde algumas capacidades de se
expressar, mas que no olhar ainda
vive, como dentro da alma o seu amor.
Amar é ter a certeza que mesmo diante da
demência, da perda da memória, ainda
existe na alma o amor genuíno e imortal.


            Rosicler Fátima Tomaz Pereira Schäfer

Nenhum comentário:

Postar um comentário