sábado, 19 de dezembro de 2015

Individualismo

Relacionamentos acabam, a História é repleta de exemplos subjetivos e objetivos de homens e mulheres, comuns e notórios, santos e "em caminhadas". Porém, as sociedades resistiram aos obstáculos, naturais (era glacial) os causados pelas Nações em modelo de manutenção de status quo, perante as demais, as duas grandes guerras mundiais. E tantos outros, que nesse momento afligem a alma humana como as guerras civis, os refugiados, o terrorismo, as crises econômicas, as epidemias, os novos tipos de doenças, a discriminação, a prostituição infantil, o trabalho escravo, a corrupção. ACREDITO que um dos fatores é o INDIVIDUALISMO, o desrespeito aos novos modelos de núcleo familiar.E em relação ao núcleo familiar, banalizou-se o AMOR, o AFETO, sim os RELACIONAMENTOS acabam - isso é fato, mas o que é monstruoso é que genitores provoquem o fim não só do relacionamento com a parceira (o), mas com aqueles lhes amam e lhes são herança póstuma: filhos biológicos, afetivos, adotados, enteados, afiliados, adolescentes jovens (como no filme, baseado na música de Renato Russo: SOMOS TÃO JOVENS), os idosos.Sim, os relacionamentos acabam e isso na maioria das vezes é saudável, mas o maior exemplo é a continuidade do AMOR e do AFETO, verdadeiros antídotos contra o INDIVIDUALISMO e o DESAMOR. Rosicler Fátima Tomaz Pereira Schäfer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário